Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/03/18 às 9h21 - Atualizado em 29/10/18 às 17h28

Secretaria de Meio Ambiente desenvolverá projetos sustentáveis no DF com recursos do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (Global Environment Facility- GEF)

 

 

 

O Governo de Brasília tem a partir desta quinta-feira (29) mais uma importante ferramenta para transformar a capital em um modelo de cidade sustentável. Trata-se do projeto “Promovendo cidades sustentáveis no Brasil, através do Planejamento Urbano Integrado e Investimentos em Tecnologias Inovadoras”, que será firmado por meio de cooperação técnica financiada pelo Fundo Mundial para o Meio Ambiente (Global Environment Facility- GEF).

 

O acordo de cooperação foi assinado entre Secretaria de Meio Ambiente do Distrito Federal (SEMA-DF), Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e Centro de Gestão e Estudo Estratégicos (CGEE), na sede do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), Lago Sul.

 

Segundo o secretário de Meio Ambiente, Igor Tokarski, o trabalho foi pensado para enfrentar a crise hídrica, as mudanças climáticas e os desafios do crescimento urbano e os impactos ao meio ambiente no DF.

 

“Vamos utilizar os recursos para executar projetos que gerem conhecimento e ferramentas de suporte à gestão de pautas importantes para Brasília buscando um modelo de cidade sustentável. Iremos elaborar um diagnóstico de contaminação do lixão da Estrutural e a proposta de remediação daquela área, que está próxima ao Parque Nacional de Brasília e abriga o sistema Santa Maria/Torto, responsável pelo abastecimento de 25% da população”, explica Igor Tokarski.

 

O Projeto GEF Cidade Sustentável é uma parceria do Governo de Brasília com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA por meio de acordo de cooperação internacional para realização de projetos de 2018 a 2022. O modelo de parceria também acontece com a Prefeitura de Recife e a Instituição Não Governamental Rede Nossa São Paulo.

 

A iniciativa visa o planejamento integrado e sustentável do território, com envolvimento de diversos setores do governo e da sociedade civil. O GEF vai repassar 6,4 milhões de dólares para 4 anos de projeto. Os recursos já foram aprovados e ocorrerão no formato de doação. O valor será somado ao investimento de 55 milhões de dólares do Governo de Brasília para ações de sustentabilidade.

 

A coordenação será da Secretaria de Meio Ambiente e contará com um comitê local incluindo a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (SEPLAG), Secretaria de Estado Gestão do Território e Habitação (Segeth), Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) e Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal (SLU).

 

A presidente do SLU, Kátia Campos, esteve presente na solenidade. “É uma grande satisfação participar desse projeto. Reforço que quem fechou o lixão foi o Governo de Brasília, pois era uma preocupação de Estado”, declarou.

 

Ações de sustentabilidade

Restauração de 60 hectares de nascentes nas regiões prioritárias do Descoberto e Serrinha do Paranoá: O projeto irá testar novas metodologias inovadoras de restauração, previstas nos novos normativos de compensação florestal do DF, aportando uma maior eficiência nos resultados.

 

Sistema Distrital de Informações Ambientais – SISDIA: A Infraestrutura de Dados Espaciais da Temática Ambiental do DF tem o objetivo de ser um conjunto de tecnologias integradas, políticas, mecanismos e procedimentos de coordenação e monitoramento, atendendo a padrões e acordos necessários para facilitar e ordenar a geração, armazenamento, acesso, compartilhamento, disseminação e uso dos dados geoespaciais.

 

Elaboração do diagnóstico de contaminação do Lixão e proposta de remediação do Lixão da Estrutural: Será elaborado diagnóstico com o objetivo de definir indicativos conceituais dos parâmetros e critérios que devem ser utilizados para os trabalhos de remediação ambiental do solo, água superficial, água subterrânea, ar e resíduos sólidos que deverão ser executados na área do Lixão da Estrutural.

 

Realização da Virada do Cerrado com estruturação dos Comitês de Meio Ambientes Locais: A meta é firmar um pacto pela sustentabilidade com os principais atores nas duas Bacias Hidrográficas onde o projeto atuará.

 

Realização de estudos referentes as mudanças climáticas: Elaboração dos principais estudos para elaboração dos Planos de Mitigação e Adaptação, e implantação do Fórum e painel científico de mudanças climáticas.

 

Estudos para o modelo de negócios de energia fotovoltaica e implantação de usina solar: Brasília lançou no final de 2015 o Programa Brasília Solar. As ações previstas no irão ampliar as metas previstas no Programa, bem como apontar as melhores abordagens de negócios para geração de energia fotovoltaica no DF.

 

Ações prioritárias na região do Lago do Descoberto: O projeto irá testar métodos inovadores na implantação de Sistemas Agroflorestais – SAFs, bem como a realização de iniciativas de boas práticas agrícolas para otimizar e racionalizar o uso de água na região, além de garantir a contínua produção de águas no Lago do Descoberto.

 

 

SLU - Governo do Distrito Federal

Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal

Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal SCS Quadra 08 Bloco “B50” 6º andar Edifício Venâncio 2000 - CEP: 70.333-900 Telefone: (61) 3213-0153